Iluminação

Esta secção explica as propriedades de iluminação definidas nas páginas dos produtos juntamente com outros factos de iluminação.

 

Potência do sistema

A potência do sistema é a potência total utilizada por cada luminária, adicionando o módulo LED e o controlador LED em conjunto. A unidade para a potência do sistema é o Watt (W)

Fonte de luz

A potência da fonte de luz é especificada separadamente. A unidade para a potência é o Watt (W)

Fluxo luminoso

O fluxo luminoso é a quantidade de luz que sai da luminária, depois de passar pelo difusor. A unidade para o fluxo luminoso é o lúmen (lm).

Eficiência da luz

A eficiência da luz é uma medida do desempenho da luminária. 
Fórmula: Fluxo luminoso lm / Potência do sistema W = Eficiência lm/W

A temperatura das cores é indicada nos produtos de iluminação. A mais comum para aplicações de iluminação interior é 3000 K e 4000 K. Tanto 3000 K como 4000 K são de luz branca, mas 4000 K corresponde a uma cor mais fria do que 3000 K. 4000 K é a chamada luz branca neutra e 3000 K é a chamada luz branca quente.

A unidade de temperatura de cor da fonte de luz é Kelvin (K)


O CRI é um indicador geral de como as cores dos objetos naturais aparecerão quando iluminados por uma determinada fonte de luz. Geralmente, será necessário um CRI de Ra 70 ou superior para a maioria das aplicações de iluminação interior.         

A unidade para o Índice de rendimento de cor é Ra.



Tolerância da cor

MacAdams é uma medida que indica o nível da triagem (binning). Os díodos LED têm uma dispersão natural na temperatura de cor, apesar de serem fabricados de acordo com a mesma especificação. A fim de ter uma instalação homogénea quando contém muitas luminárias, os díodos LED não devem diferir muito. A forma de resolver isto é triar (fazer o binning) os díodos.

MacAdams 1–3 são tipicamente para aplicações com elevadas exigências de igual qualidade da cor.

MacAdams 3–5 são tipicamente para ambientes interiores em geral.

MacAdams 5–7 são principalmente para ambientes exteriores e produtos com menor procura. 

A unidade para MacAdams é o SDCM (Standard Deviation of Color Matching, Desvio padrão da combinação de cores).

Rendimento normalizado

O rendimento normalizado(LOR, Light Output Ratio) é a percentagem de luz emitida a partir da fonte de luz que a faz sair da luminária. Para as luminárias LED é declarado como 100%.

Dados de luz/diagrama polar

A curva de distribuição da luz é uma curva traçada em diagrama polar. Indica a intensidade luminosa da luminária em cd/klm em diferentes direções como função do ângulo de visão num ou mais planos. Uma linha sólida mostra a distribuição da luz perpendicular ao eixo longitudinal da lâmpada e a linha tracejada mostra a distribuição da luz na direção longitudinal. A direção para cima e para baixo mostra a saída direta ou indireta de luz da luminária. Os dados de saída de luz também podem ser utilizados para o planeamento de luz num software (por exemplo, Dialux). 

Exemplo de uma curva assimétrica de distribuição de luz.

Exemplo de uma curva simétrica de distribuição de luz.

Exemplo de uma curva de distribuição de luz difusa.

Vida útil prevista

Os módulos LED são reconhecidos como L70, L80 ou L90. O valor L descreve a produção de luz como uma percentagem do valor, que pode ser esperada quando o tempo especificado é alcançado e combinado com uma utilização ou iluminação esperada.

Exemplo: L90 >100 000h = 90% de luz em relação ao valor inicial após 100 000 horas de iluminação.

LUX 

Lux é uma unidade de medição de luz que tem em conta a área. Por outras palavras, intensidade da luz.

Utilizamos lux para medir a quantidade de luz produzida numa determinada área, onde um lux é igual a um lúmen por metro quadrado. Lux é uma ótima medida para determinar o que vemos como o brilho de um feixe. Se a produção de luz estiver concentrada numa área mais pequena, vemo-la como muito brilhante. Se a produção de luz estiver espalhada por uma área maior, vemo-la como muito fraca.

A unidade de iluminação é Lux (lx).

Proteção de entrada (IP)

Os aparelhos de iluminação estão equipados com um código IP. A designação IP consiste num código de dois dígitos que descreve o grau de proteção contra objetos sólidos, humidade e água. O quadro abaixo descreve o respetivo código IP.

As classificações normais de IP interior para escritórios e escolas são IP20.

Na indústria de fabrico de aparelhos elétricos, as seguintes classes de proteção IEC são definidas e utilizadas para diferenciar os requisitos de ligação à terra de proteção dos dispositivos. A tabela abaixo descreve a respetiva classe de aparelhos.

Classe I

Instalações elétricas onde o chassis está ligado à terra com um terminal separado.

Classe II

Um aparelho elétrico de Classe II ou com duplo isolamento é aquele que foi concebido de tal forma que não requer uma ligação de segurança à terra elétrica.

O requisito básico é que nenhuma falha isolada possa resultar em tensão perigosa que possa causar um choque elétrico e que isto seja conseguido sem depender de um invólucro metálico aterrado. Isto é geralmente conseguido, pelo menos em parte, através de duas camadas de material isolante que envolve as partes vivas ou através da utilização de isolamento reforçado.

Classe III

A luminária de Classe III é uma luminária em que a proteção contra choques elétricos depende da alimentação a uma tensão extra baixa de segurança (SELV) e em que não são geradas tensões superiores às da SELV.

Aprovação CE para luminária de iluminação

Para que uma luminária possa ser comercializada na UE / área do EEE, tem de ser fornecida com a marca CE. A marcação CE, que é obrigatória, significa que o produto preenche o requisito da diretiva CE.